RSS

Um pedaço da minha experiência com Jesus (dez/2002)

08 jun

Gostaria de falar diretamente com você que é meu igual; que desde o nascimento foi regado com um misto de cultura, regras sociais, religião, medos, fantasmas, comportamentos, sentimentos contraditórios, conflitos, etc.
Eu sou uma mulher de 45 anos e fui criada em um lar evangélico. Conheci a Casa de Deus bem pequena e tive o prazer de ser apresentada a Deus, em Jesus Cristo, e a amá-lO, mas eu não O conhecia. A cada passo do meu crescimento físico/mental e os livramentos alcançados, mesmo sem ter consciência total de Sua Pessoa, sabia que eu devia a Deus e a Sua providência o desenlace dos acontecimentos passados, mas continuava não O conhecendo.

Fui uma criança/adolescente/adulta muito complicada; cheia de conflitos pessoais e familiares. Cheia de culpas. Um coração revoltado, atrevido, possessivo, agressivo e autoritário. Me jogava por inteiro aos meus relacionamentos de amizade e muitas mágoas tive que amargurar, e conviver com muitas repulsas e indiferenças de pessoas que gostaria de manter relações, isto é, queria que fossem o meu espelho – e na realidade o eram.
Fui uma negação nos relacionamentos, pois as pessoas não pensavam igual, havia grandes diferenças e barreiras. Queria ser aceita sem aceitar, queria não sofrer e fazia sofrer. Viver é complicado. Viver relacionamentos é complicado, complexo. Construí castelos de areia, ruíram todos. Construí sonhos no ar: individuais, egoístas, sem fundamento. Um mundo de encantos vazios, prazeres que satisfazem em um momento e deixa um rastro de desilusão, de solidão, de medos e de interrogações.
Descobri que vivi uma farsa, um não pensamento, pois pensar implica em entender e entender me traria responsabilidades e compromissos com princípios já alicerçados e que fundamentam a vida espiritual, moral e social do ser humano no Justo, no Bom e no Verdadeiro.
Era mais fácil pintar a cara de palhaço, mostrar uma alegria vazia, um sorriso plastificado e esgar histérico, do que mostrar um rosto luminoso, olhos inteligentes e um espírito manso, um coração alegre e uma paz que inunda o seu ser e que transmite para o outro descanso, confiança e segurança.
Era mais fácil negar, não querer fazer, não pensar, não se preocupar, não resolver, não terminar, não, não, não. Quantos nãos você realizou? Quantos nãos me impediram de receber um sim? Quantos nãos não se espelharam de outros e não espelharam a outros? Nãos, nãos, nãos. Você vive negando a você o ser feliz, o ser bom, o ser justo, o ser amigo, o amar, o entender, o aprender. Vivi a maior parte de minha vida negando a mim o ser feliz, cultivando mágoas, rancores, terrores, pesares, ansiedades, inimizades, e a maior parte disso tudo, senão tudo, era uma espécie de véu que cobria não só os meus olhos, mas os ouvidos, o coração, a mente e meu corpo, impedindo de me fazer perceber que eu era a máscara, eu era a farsa, eu era a errada, eu era a inimiga, eu era a caricatura do mundo.
Eu sempre busquei a Deus. A própria vida me fazia buscar a Deus, pois a cada passo sofri doenças, e doenças em meus queridos, sofri perdas, mortes e adeus, passei por cirurgias, fui vítima de acidentes, tive dores, ansiedades, depressões, angústias, frustrações, tristezas, raivas, ódios, desejos de vingança … Na verdade eu só via o mau/mal e o mau/mal (mundo) se instalou no meu coração, de tal forma que saía de mim também o mundo. Tinha tanto medo, tanto medo, que queria proteger, queria impedir qualquer mal, queria controlar, queria decidir ‘visando o bem” de todos a quem eu amava. Que conflito: eu – comigo, eu – com os outros, os outros – comigo.
Mesmo na minha ignorância de Deus, de Sua Palavra eu O buscava e o meu Deus foi misericordioso comigo e me escutou. Aleluia! Glória a Deus!
O meu Deus, em o Nome de Jesus , me escutou, me ouviu. Jesus me ouviu!
E o meu Jesus começou a trabalhar em mim, não que alguém notasse, nem eu notei, mas começou a semear no meu coração uma vontade de distribuir Bíblias, e nunca eu a havia lido inteira. Mas este desejo de distribuir Bíblias cada vez mais me incomodava. As vezes eu era tomada de urgência como se não fosse existir o amanhã. Precisava distribuir Bíblias.
Mais ou menos nos idos de 1996, meus irmãos passaram a me dar uma mesada e foi a porta que o Senhor Jesus abriu a evangelização e desde então, apesar desta porta já ter se fechado, foi o início de um relacionamento mais íntimo com o meu Deus, Não sei quando nem como, mas já li a Bíblia por inteiro bem umas quatro vezes e não deixo de lê-la por nada, pois em cada leitura, Deus derrama luz na minha mente e me dá entendimento, e o Seu Conselho fiel, antigo e verdadeiro (Is 25.1)
Posso dizer que Jesus me curou, me libertou de doenças, de paralisias, de culturas, de culpas, de opressões, de cegueiras, me transformou, renovando a cada dia a minha mente, me fazendo ver e praticar a boa e agradável e perfeita vontade de Deus (Rm 12:2)
Não existe fórmula mágica, existe sim o ter me reconhecido uma pessoa pecadora, maquiada de pequenas e grandes sujeiras e erros, mostrando ao outro aquilo que quer ver, me enganando e talvez até gostando e acreditando que talvez eu não fosse tão ruim assim.
Eu louvo a Deus, em Jesus Cristo, porque Ele abriu os meus olhos para que eu me visse e no meu ver eu não aguentasse comigo mesma, e clamasse de todo o coração para que Jesus quebrasse os altares, os muros, a sujeira, o cascão de dentro de mim; que me fizesse nova, que me fizesse amar, perdoar, ser bonita, ser luz.
Jesus é bom, é muito bom. Ele me fez ver como eu era horrível e que para que houvesse mudança, além de me ver reconhecer que preciso de Jesus, e clamar para que Ele fizesse uma transformação em mim e que eu conseguisse estar livre das culpas, pois o meu Jesus já as havia perdoado (Cruz), que eu tivesse um corpo são, pois Jesus já me havia curado (Cruz), que Jesus me ensinasse os Seus Mandamentos: Amar a Deus acima de qualquer coisa e ao próximo como a mim mesma. Jesus é bom, louvado seja o Seu Nome!
Hoje eu tenho um compromisso com Jesus Cristo, como num casamento. Eu amo o meu Jesus e quero agradá-lo em obediência, fidelidade, constância e alegria, pois é Ele que me sustenta e guarda, é Ele que me livra e fortalece, é Ele que me ama é é fiel a Sua Palavra para que Ela se cumpra em mim. Vem Senhor Jesus! Amém.

 
2 Comentários

Publicado por em junho 8, 2007 em MEU BLOG

 

2 Respostas para “Um pedaço da minha experiência com Jesus (dez/2002)

  1. erika

    novembro 15, 2011 at 4:30 pm

    a minha esperiencia com meu jesus fooi maravilhosa

     
  2. Anônimo

    outubro 31, 2012 at 6:43 pm

    Jesus te abençoe Erika.

     

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: